7 Técnicas antigas de beleza mais doidas da história da humanidade – Saúde Fitness

7 Técnicas antigas de beleza mais doidas da história da humanidade

7 Técnicas antigas de beleza mais doidas da história da humanidade

Desde os primórdio da humanidade as pessoas sempre foram ligadas a beleza e a manutenção da juventude. Ao longo das eras, diversos métodos, alguns bem bizarros, foram experimentados e desenvolvidos para deixar as pessoas mais atraentes e ressaltar sua aparência.

Aqui na Fatos Desconhecidos já escrevemos sobre 7 produtos de beleza que você usa e que os dermatologistas detestam e 8 truques de beleza femininos que os homens precisam aprender. Hoje, listamos algumas técnicas antigas usadas pelas pessoas e que, empregadas hoje em dia, parecem muito loucas para ser verdade. Confira!

1 – Banho de excremento de crocodilo

Os gregos e romanos usavam diversos produtos de origem animal para fins medicinais e como embelezadores. Eles acreditavam que o excremento dos répteis tinham o poder de retardar o processo de envelhecimento. Eles então faziam uma mistura de lama morna com as fezes de crocodilos e mergulhavam seus corpos na mistura durante horas.

2 – Covinhas

Em 1936, Isabella Gilbert inventou um acessório para que as pessoas que desejavam ter covinhas em seu rosto. O dispositivo consistia de uma mola com dois pequeno botões que pressionavam as bochechas para criar as covinhas. O acessório passou a ser conhecido como Dimple Maker, ou “Criador de Covinhas” em tradução livre.

3 – Beladona e as pupilas

As mulheres na Itália pingavam gotas de beladona em seus olhos para dilatar as pupilas e torná-las mais sedutoras. O problema é que o uso prolongado do produto tinha grande potencial de levar a cegueira permanente. O próprio nome da planta ganhou a alcunha de “venenosa” devido a este fim “cosmético”.

4 – Urina para clarear os dentes

Apesar de usar ingredientes diferentes, a pasta de dentes é uma invenção egípcia. Seguindo a evolução, os romanos inventaram um colutório para limpeza dos dentes a base de pura urina. Porém, de alguma forma, eles passaram a acreditar que a urina dos portugueses tinha um efeito branqueador. Então, eles passaram a importa-la. No entanto, com o fim do Império Romano, este hábito também desapareceu.

5 – Marcas de beleza

Devido as ocorrências de varíola nos seculo XVIII, as marcas de beleza começaram a surgir. As cicatrizes daqueles que sobreviveram a doença eram constrangedoras, então as mulheres começaram a usar desenhos e ícones para cobri-las. Triângulos, estrelas, corações e círculos feitos de veludos eram colados na pele onde as marcas estavam.

6 – Lápis violeta

Além das roupas apertadas, corsets e penteados alinhados, nos anos 1800 as mulheres de classe alta e ricas usavam lápis de cor azul ou violeta para desenhar veias nas áreas onde a pele estava amostra. Principalmente no pescoço e sobre os seios. Assim, criava-se a ilusão de uma pele mais branca.

7 – Veneno para os lábios

Os lábios femininos sempre mexeram com a mente das pessoas e são considerados uma das partes mais sensuais do corpo de uma mulher. Os mesopotâmicos inventaram o uso de cores sobre os lábios. Eles esmagavam cera de abelha e pedras preciosas para enfeita-los. Porém, os egípcios desenvolveram algo muito mais inusitado.

Algas marinhas, bromina manita e iodo eram utilizados para criar cores distintas. Até que Cleópatra decidiu desenvolver uma nova cor esmagando uma espécie de besouros venenosos. Ela teria utilizado cerca de 70 mil deles para extrair cerca de 1 kg do corante. Tudo em nome da beleza.

Leave your vote

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Close
of

Processing files…